Julio Urrutiaga Almada
Sˇ voa quem de cÚu Ú feito
CapaCapa
TextosTextos
┴udios┴udios
PerfilPerfil
Livros Ó VendaLivros Ó Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Poemas Mal_Ditos 

Um poeta em seu reino dos céus
Tem sempre esse inferno particular:
Se cortando na sutileza dos véus
Olha no olho do que há a revelar 
Vê claro o que claramente oculto
É o mais escondido dos tesouros.
logo o acusam de estar em surto
ao dançar com a alma dos touros. 
Chega de promessas do paraíso
repleto de prazeres artificiais.
Escrevo uma dor ácida e aviso:
sou o menos morto dos mortais! 
Vestido com a ousadia nua:
Como flor de lótus nos funerais.
Quero a tinta que a beleza sua
E deitar vivo, aonde a vida jaz.