Julio Urrutiaga Almada
Só voa quem de céu é feito
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

Roda-viva


A mulher veio na tarde
Longínqua.
Tarde faminta.
Tarde exígua.
A mulher veio tarde
E a tarde em mim
Era esperar-lhe.

A mulher veio: duas, três,
Veio
À tarde.
E o corpo emprestado
Me havia deixado:
Entre os pertences
Da tarde.

A mulher e a tarde
E a morte
E a farsa
E a forte
Ânsia de tudo ser:
Algo para o pranto
da sorte.

A Tarde
Quando tudo é tarde
Quando o que tarda:
Fardo
Quando o que falta:
Fado.

A mulher dorme:
O sonho da minha morte!

Hora Tenaz
Julio Urrutiaga Almada
Enviado por Julio Urrutiaga Almada em 01/02/2007
Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Caderno de Ontem R$15,00
Em um mapa sem Cachorros R$15,00
Instantâneo Enlace R$20,00
O amor é um precipício do Cão R$15,00
Poemas Mal_Ditos R$15,00