Julio Urrutiaga Almada
Só voa quem de céu é feito
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

Práxis
Às vezes eu queria estar sentado
Neste sofá que não há lá em casa
Livrando-me do bucólico alcoolismo [mental
Livrando-me dessa pá de lodo
Do modo normal de estar incômodo
Desta rima vulgar e da espera
Do amor copiado no papel de seda
Na linguagem ruidosa das pedras
E mascar uma vez mais o que dá asco
Como uma tesoura roçando o papel em pedaços
E vendo essa plebe vestida de muda
De esperança e metamorfose
E os dentes emporcalhados de branco
E eu limpando os olhos com xingamentos
Julio Urrutiaga Almada
Enviado por Julio Urrutiaga Almada em 27/10/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Caderno de Ontem R$30,00
Em um mapa sem Cachorros R$30,00
Instantâneo Enlace R$32,00
O amor é um precipício do Cão R$32,00
Poemas Mal_Ditos R$30,00