Julio Urrutiaga Almada
Só voa quem de céu é feito
Capa Textos Áudios E-books Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato Links
Textos
Destino
O imã dilacerou,
O dia já partido.
O cabelo me tocou
Ah, peito ferido.

Dias e dias, ninguém sabe
O não ser igual  de cada dia,
Manhã depois do pesadelo
Almoço às doze, alguém diria,
O sol cortante naquela tarde
E nada é o mesmo.

Nem a lâmina no olhar
Ela é quente, ela é fria,
De adoecer, de encantar,
É pronta, é tardia
É o que vemos
É o que vê
Taquicardia.

Julio Urrutiaga Almada
Enviado por Julio Urrutiaga Almada em 03/01/2009
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
Caderno de Ontem R$20,00
Em um mapa sem Cachorros R$20,00
O amor é um precipício do Cão R$20,00
Poemas Mal_Ditos R$20,00