Julio Urrutiaga Almada
Só voa quem de céu é feito
Capa Textos Áudios E-books Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato Links
Textos
Poema da Espera



A esfera nos meus dedos
É a brasa da partida.
Algo arremessou-se
Em vertiginosa saída.
Só me resta esperar:
O desgastar insólito
Desse desejo informe.
Um bólido natural
Em vôo embebecido.
Nos olhos admiro,
Meu peito não vencido
Meu peito não cansado.
A espera faz-me imóvel
Esfera.

Julio Urrutiaga Almada
Enviado por Julio Urrutiaga Almada em 09/02/2007
Alterado em 09/02/2007
Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
Caderno de Ontem R$20,00
Em um mapa sem Cachorros R$20,00
O amor é um precipício do Cão R$20,00
Poemas Mal_Ditos R$20,00