Julio Urrutiaga Almada
Só voa quem de céu é feito
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

Historinha
Comprei uma flor assassina
Dessas que te grudam os espinhos
Dessas que te olham de mansinho
Dessas que nunca dizem jamais
E foi em uma tarde de abril
Eu: o homem de outubro
Eu que maio esperava
Para observar junho.

Comprei uma flor assassina
Diziam não perca a oferta.
E hoje a noite é longínqua.
E hoje a flor é incerta.
E hoje –o amanhã do ontem-
Me olha e me compra.
Eu que dizia: não estou à venda.
Eu de olhos abertos:
Aparo com as mãos cortadas:
Meu coração de desertos.
Julio Urrutiaga Almada
Enviado por Julio Urrutiaga Almada em 03/10/2008
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Caderno de Ontem R$15,00
Em um mapa sem Cachorros R$15,00
Instantâneo Enlace R$20,00
O amor é um precipício do Cão R$15,00
Poemas Mal_Ditos R$15,00