Julio Urrutiaga Almada
Só voa quem de céu é feito
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

Fábula
Amor, hoje era o dia da nebulosa
Névoa dos meus olhos, falsa rédea,
Do ver e não ver, brisa brilhosa
Limbo do amargo desdizer e  sorrir

Amor, hoje cortei-me de azulejos e vidraças
E fui feliz, distraído, enquanto a dor acenava
Amora amarga o riso para mim negado
No amor amorfo de nenhum entusiasmo

Amor, hoje o silêncio era a garganta da Gritaria
Os olhos cedidos no dia em que nasci, arenosos
Senti amor,amor e a busca na tarde esvaindo
O pulsar descontente do sangue que me fervia.
Julio Urrutiaga Almada
Enviado por Julio Urrutiaga Almada em 01/12/2008
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Caderno de Ontem R$15,00
Em um mapa sem Cachorros R$15,00
Instantâneo Enlace R$20,00
O amor é um precipício do Cão R$15,00
Poemas Mal_Ditos R$15,00